Catedral-Metropolitana-scaled.jpg

HISTÓRIA

 

Até ser inaugurada, em 21 de novembro de 1988, a Catedral Metropolitana de Natal, dedicada a Nossa Senhora da Apresentação, tem uma longa história.

Segundo os historiadores, o passo inicial foi dado pelo Pe. João Maria Cavalcanti de Brito, quando era vigário da freguesia de Nossa Senhora da Apresentação, ainda no século XIX. Pacientemente, ele conseguiu construir os alicerces da pequena igreja, chegando a construir algumas colunas. Muitas pessoas fizeram doações de tijolos, até como pagamento de promessas. Não tendo sido construída a Igreja, as colunas ficaram, por algum tempo, como o marco da iniciativa do “santo” vigário natalense.

PROJETO

 

A confecção do projeto da atual Catedral Metropolitana de Natal, além do objetivo de representar um conjunto de linhas que elevam o homem a Deus, foi realizada, tendo como base o princípio da funcionalidade, que define que uma Igreja é bem sucedida se estiver completamente a serviço do culto e se der a esse mesmo culto beleza e intrínseca sacralidade. O projeto previu a assembleia do povo de Deus em torno de um presbitério circular, oferecendo condições de participação ativa dos fiéis.

O primeiro projeto para a nova Catedral apresentava uma igreja em forma de cruz, que logo foi descartada pela pouca capacidade de acomodação dos fiéis. O novo projeto deu condições para que a Catedral acomodasse 3 mil pessoas sentadas. Eis os autores do Projeto:

Projeto arquitetônico: Arquiteto Marconi Grevi

Projeto estrutural: Engenheiro José Pereira da Silva

Construção: Engenheiro Malef V. de Carvalho

Projeto de instalações: Engenheiro Joaci de Albuquerque

Decorridos muitos anos, Dom Marcolino Esmeraldo de Souza Dantas, primeiro Arcebispo de Natal, atende ao pedido dos fiéis, e autoriza a efetivação do plano destinado à efetivação da construção da nova catedral, uma vez que a então catedral (hoje, Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, localizada na Praça André de Albuquerque, s/n. Cidade Alta), não mais comportava o número de fiéis. A comissão era coordenada pelo então Bispo Auxiliar, Dom Eugênio de Araújo Sales.

Depois de levantadas algumas paredes, a Arquidiocese chegou à conclusão de que seria um prédio de elevado custo, pela imitação de templos europeus, dando preferência a uma planta mais moderna e mais econômica.

Com a transferência de Dom Eugênio para Salvador (BA) e com a nomeação de Dom Antônio Soares Costa para Bispo Auxiliar de Natal, este passa a coordenar a Comissão responsável pela construção da nova Catedral. A construção foi iniciada em 21 de junho de 1973. Foram 18 anos de intensas campanhas, a fim de conseguir recursos para construir o novo templo, cuja inauguração aconteceu em 21 de novembro de 1988, pelo então Arcebispo, Dom Alair Vilar Fernandes de Melo.

ESTRUTURA

 

A planta da Catedral Metropolitana possui forma trapezoidal, tendo dois pavimentos:

– A nave: um vão único, onde acontecem as celebrações litúrgicas.

– Subsolo: é o Centro Administrativo e Pastoral Pio X, onde funcionam o gabinete do Arcebispo, a Cúria Metropolitana, a secretaria da Paróquia Catedral, além da coordenação de diversas pastorais. O acesso ao Centro Pastoral se dá pela Av. Floriano Peixoto. Ainda no centro pastoral, exatamente sob o altar principal na Catedral localiza-se a Capela do Santíssimo Sacramento, abençoada por São João Paulo II, durante a visita que fez ao Brasil por ocasião do XI Congresso Eucarístico Nacional, em outubro de 1991.

ENDEREÇO

 

Av. Floriano Peixoto, 674 - Tirol - 59020-500 – Natal (RN)

Fones: (84) 3615-2800 (Arquidiocese) / 3201-4559 (Paróquia da Catedral)