Dom Antônio dos Santos Cabral


Dom Antônio dos Santos Cabral

2º Bispo de Natal

(Propriá-SE, 8 de outubro de 1884 — Belo Horizonte-MG, 15 de novembro de 1967)


Dom Cabral iniciou seus estudos em Propriá, depois foi para a cidade de Penedo/AL e, mais tarde, matriculou-se no Seminário de Santa Teresa, em Salvador/BA. Sua ordenação sacerdotal aconteceu em 01 de novembro de 1907, regressando para atuar em Propriá. Em 01 de outubro de 1917, foi publicada a bula do Sumo Pontífice Bento XV nomeando-o bispo de Natal. Seu governo à frente desta diocese durou quatro anos. Durante seu pastoreio, foi criada a Congregação Mariana, em 14 de junho de 1918, no início composta de 21 rapazes. Entre os pioneiros da Congregação Mariana, estava o jovem Ulisses de Góis, que teve uma notável participação na ação da Igreja e na sociedade potiguar. Outra marca notável do pastoreio de Dom Antônio Cabral foi o zelo e o incentivo às vocações. Neste sentido, a criação do Seminário de São Pedro, em 14 de fevereiro de 1919, foi um marco para a ação formativa do clero de Natal. Ainda em 1919 foram realizadas a criação da Escola de Comércio e a Conferência Vicentina. Outra marca desse período foi a ação no campo das comunicações, com a criação dos jornais: “Boletim de Natal” (1918) e “A Palavra” (1921).